Denotação e conotação são temas que caem na maioria das provas de vestibular, ENEM e concursos públicos.

Exemplos e Exercícios de Denotação e Conotação

Denotação e conotação são temas que caem na maioria das provas de vestibular, ENEM e concursos públicos.

Quando falamos de sentido denotativo e conotativo estamos tratando da expressividade da língua, ou seja, como ela pode ser expressada e entendida de diferentes formas.

Denotação e conotação: o sentido das palavras

Leia a tirinha:

O que podemos perceber na tirinha? Observe, no primeiro quadro, a expressão “comer asfalto”. Trata-se de uma expressão com sentido literal ou figurado?

Obviamente, o personagem não está dizendo para o outro que ele vai ter que comer asfalto literalmente. Temos uma fala no sentido figurado, isto é, ele usou da expressividade da língua para assustar o outro.

No segundo quadro, o personagem diz: “estou morto”. Novamente, trata-se de um sentido figurado, pois, como vemos, ele não está morto.

Passando para o terceiro quadro, temos a expressão “ameaça terrorista”. Claramente trata-se de um exagero, que também tem um sentido figurado. Afinal, o outro personagem, até onde sabemos, é apenas um estudante.

A tirinha é um belo exemplo de como a língua portuguesa é expressiva e como nós utilizamos recursos para expressá-la de diferentes maneiras. Por conta disso, as palavras podem assumir diversos sentidos no texto:

  • Denotação: sentido real, literal, como no dicionário (como as palavras realmente são).
  • Conotação: sentido figurado, que depende do contexto.

Exemplo: âncora.

A âncora do navio é gigantesca. (denotação: sentido real)

Ele é uma âncora no pé. (conotação: sentido figurado)

Veja que no primeiro exemplo estamos realmente falando da âncora do navio, ou seja, é o sentido real da palavra. No entanto, na segunda sentença, a pessoa não é uma âncora real; trata-se apenas de uma figura de linguagem, uma expressão no sentido figurado.

Falando nisso, são as diferentes possibilidades de empregar o sentido conotativo que nos leva a estudar as figuras de linguagem, que são um conjunto de recursos expressivos da língua. Aliás, esse é outro assunto que costuma cair muito nas provas.

Importante: na redação, você não pode utilizar o sentido conotativo – nem as figuras de linguagem! O seu texto deve ser sempre escrito no sentido denotativo, pois o corretor da banca pode não entender o sentido que você quis passar ao utilizar a conotação. Então, escrevam as palavras com seu real sentido.

Exercícios de Denotação e Conotação

QUESTÃO 1

(Enem)

Texto l

No meio do caminho tinha uma pedra

tinha uma pedra no meio do caminho

tinha uma pedra

no meio do caminho tinha uma pedra […]

ANDRADE, C. D. Reunião Rio de Janeiro: José Olympio, 1971 (fragmento).

Texto II

As lavadeiras de Mossoró, cada uma tem sua pedra no rio: cada pedra é herança de família, passando de mãe a filha, de filha a neta, como vão passando as águas no tempo […]. A lavadeira e a pedra formam um ente especial, que se divide e se reúne ao sabor do trabalho. Se a mulher entoa uma canção, percebe-se que nova pedra a acompanha em surdina… […]

ANDRADE, C. D. Contos sem propósito. Rio de Janeiro: Jornal do Brasil, Caderno B, 17/7/1979 (fragmento).

Com base na leitura dos textos, é possível estabelecer uma relação entre forma e conteúdo da palavra “pedra”, por meio da qual se observa

a) o emprego, em ambos os textos, do sentido conotativo da palavra “pedra”.

b) a identidade de significação, já que nos dois textos, “pedra” significa empecilho.

c) a personificação de “pedra” que, em ambos os textos, adquire características animadas.

d) o predomínio, no primeiro texto, do sentido denotativo de “pedra” como matéria mineral sólida e dura.

e) a utilização, no segundo texto, do significado de “pedra” como dificuldade materializada por um objeto.

QUESTÃO 2

(Mackenzie)

Quando eu me sento à janela

P’los vidros que a neve embaça

Vejo a doce imagem dela

Quando passa… passa… passa…

Lançou-me a mágoa seu véu: –

Menos um ser neste mundo

E mais um anjo no céu.

Quando eu me sento à janela,

P’los vidros que a neve embaça

Julgo ver a imagem dela

Que já não passa… não passa…

(Fernando Pessoa)

I – Os versos 6 e 7 referem-se à morte de maneira denotativa.

II – Nos versos 6 e 7 há uma referência irônica ao véu da mágoa.

III – O paralelismo entre os versos 1/2 e 8/9 aponta para uma ação cíclica.

Das afirmações acima:

a) apenas I está correta.

b) apenas II está correta.

c) apenas III está correta.

d) todas estão corretas.

e) nenhuma está correta.

QUESTÃO 3

(Enem) O termo (ou expressão) destacado que está empregado em seu sentido próprio, denotativo, ocorre em

a) “(….)

É de laço e de nó

De gibeira o jiló

Dessa vida, cumprida a sol (….)”

(Renato Teixeira. Romaria. Kuarup Discos. setembro de 1992.)

b) “Protegendo os inocentes

é que Deus, sábio demais,

põe cenários diferentes

nas impressões digitais.”

(Maria N. S. Carvalho. Evangelho da Trova. /s.n.b.)

c) “O dicionário-padrão da língua e os dicionários unilíngues são os tipos mais comuns de dicionários. Em nossos dias, eles se tornaram um objeto de consumo obrigatório para as nações civilizadas e desenvolvidas.”

(Maria T. Camargo Biderman. O dicionário-padrão da língua. Alfa (28), 2743, 1974 Supl.)

d)

O Globo. O menino maluquinho: agosto de 2002

O Globo. O menino maluquinho: agosto de 2002

e) “Humorismo é a arte de fazer cócegas no raciocínio dos outros. Há duas espécies de humorismo: o trágico e o cômico. O trágico é o que não consegue fazer rir; o cômico é o que é verdadeiramente trágico para se fazer.”

(Leon Eliachar. www.mercadolivre.com.br <http://www.mercadolivre.com.br>. acessado em julho de 2005.)

QUESTÃO 4

(UFT-TO)

Leia as tirinhas abaixo:

Fonte: Folha de São Paulo,12 de julho de 2007. Folha Ilustrada, E 11.

Sabemos que a compreensão de todo e qualquer texto passa pelo conhecimento prévio do leitor ou ouvinte, como é o caso de tirinhas, charges e piadas. Um termo ou uma palavra, além do seu significado literal, pode vir acrescido de outros significados. No processo de interação da linguagem, o autor intencionalmente busca causar efeitos, desencadear comportamentos, atuar sobre o outro de determinada maneira.

Considerando essa discussão, assinale a alternativa CORRETA:

a) O contraste entre denotação e conotação presente nas tirinhas exemplifica a ideia discutida no enunciado da questão.

b) Na linguagem popular a denotação poderia ser definida como uma compreensão “ao pé da letra”, conforme temos na tirinha 2, no primeiro quadrinho, na expressão “Olha o aviãozinho”, sendo facilitada pelo conhecimento prévio do leitor e as intenções do autor.

c) Em ambas as tirinhas o efeito cômico causado dá-se pela interpretação denotativa carregada de impressões e valores afetivos.

d) Enquanto na tirinha 1 a denotação dá-se no primeiro quadrinho, na tirinha 2 esse processo ocorre no último.

QUESTÃO 5

(FGV)

Lixo industrial na sua casa

1A obsolescência programada dos produtos já ultrapassou todos os limites. Você compra uma 2geladeira, um fogão, uma máquina de lavar hoje e daqui a três ou quatro meses consulta a lista de 3assistência técnica. Chato, não?

4Vem a assistência técnica autorizada, conserta, ou melhor, dá um jeito por um mês ou dois. E o 5produto quase novo, já reparado, está novamente estragado. Irritante, não?

6Pois é, falamos, discutimos, escrevemos, lemos e vemos programas e filmes sobre a proteção ao 7ambiente. Um tema relevante, empolgante, mas que se contrapõe à curta duração dos produtos.

8Porque, bem, cá entre nós e que ninguém nos ouça, com produtos fabricados para estragar e 9assistência técnica que faz gambiarras, sai mais em conta comprar um novo.

10Chegamos, então, à triste situação de descartar, após um ano ou dois, equipamentos que antes 11duravam dez ou mais anos. Todos feitos com muito plástico, que deforma, enguiça, quebra e não dura.

12A natureza, já tão ameaçada por nosso descaso e desrespeito milenares, sofre com montanhas de 13baterias, carcaças de celulares, de máquinas de lavar e fontes de microcomputadores. Lixo, muito lixo, que 14decorre da cupidez de quem fabrica porcaria para vender novamente em prazo recorde.

Maria Inês Dolci, Folha de S. Paulo, 31/05/2010. Adaptado.

Destes pares de palavras, entendidos no contexto, o único em que ocorrem contrastes entre linguagem formal e informal e entre denotação e conotação é:

a) “relevante” (ref. 7) / “empolgante” (ref. 7).

b) “gambiarras” (ref. 9)/ “porcaria” (ref. 14).

c) “reparado” (ref. 5) / “fabricados” (ref. 8).

d) “programas” (ref. 6) / “montanhas” (ref. 12).

e) “conserta” (ref. 4) / “decorre” (ref. 14).


RESPOSTAS:

12345
accad

Para aprender mais

Se quiser saber mais sobre o conteúdo, assista ao vídeo do meu canal:

Espero que esses exercícios tenham ajudado você a entender melhor sobre denotação e conotação. Se tiver dúvidas e quiser aprender mais sobre redação e gramática, acesse meu site e inscreva-se para receber meus conteúdos!

SAIBA MAIS
📚 Termos Acessórios da Oração: Quais são e Exercícios
📚 Sintaxe: saiba sobre os termos integrantes da oração
📚 Exercícios de Predicado

Me acompanhe nas redes sociais: curta a minha página no Facebook, me siga no Instagram, se inscreva no Youtube e participe do meu canal oficial no Telegram.

Compartilhar:

Deixe uma resposta